domingo , 20 janeiro 2019
Últimas Notícias
Esporte: Fran da Rocha retorna das Olimpíadas e visita escolas campobelenses
Fran da Rocha é sinônimo de talento e humildade

Esporte: Fran da Rocha retorna das Olimpíadas e visita escolas campobelenses

Respondendo ao questionamento do aluno Davi: "Não me sinto uma celebridade. Prefiro ser conhecida".

Respondendo ao questionamento do aluno Davi: “Não me sinto uma celebridade. Prefiro ser conhecida”.

De Campo Belo para o mundo: “Falar antes de fazer é fácil. Espero atitudes e não palavras”, disse a atleta de ouro, que aguarda valorização e ações para o esporte campobelense.

De sorriso fácil, Fran cativou os alunos.

De sorriso fácil, Fran cativou os alunos.

Talento, carisma e humildade são adjetivos que definem a atleta criada em Campo Belo (MG), Francielle Gomes da Rocha, ou simplesmente Fran, da Seleção Brasileira feminina de handebol. A jovem de 24 anos, única mineira na Seleção brasileira, brilha na quadra e fora dela. Ouro em Toronto (Canadá) em 2015, a campeã atuou com garra e persistência nas Olimpíadas do Rio 2016.  Fran é exemplo pra cidade. Sempre após as competições, a campeã que sofreu muito – principalmente pela falta de incentivo para chegar no patamar em que está- visita a cidade montesa. A família que é seu refúgio e sua segurança, foi pilar para que a jovem se consagrasse. Os pais foram assistir a filha brilhar nas Olimpíadas e se emocionaram. Após a disputa, Fran retornou à sua “Terrinha” e prestigiou alunos das escolas da rede pública e privada. Os conterrâneos se sentiram lisonjeados com a visita ilustre.

As crianças ficaram vidradas no depoimento da atleta, orgulho campobelenses

As crianças ficaram vidradas no depoimento da atleta, orgulho campobelense.

Na terça-feira (22), Fran da Rocha visitou várias instituições escolares. Entre elas, a Escola Infantil Aquarela. Para os professores, a direção e os alunos foi momento ímpar. Mesmo com a agenda completa, nossa atleta olímpica concedeu entrevista ao diariocampobelo.com.

Ao som do Hino Nacional, as crianças e professores recepcionaram a atleta olímpica

Ao som do Hino Nacional, as crianças e professores recepcionaram a atleta olímpica

Ao site a campeã contou a experiência de ter participado de uma competição mundial em seu próprio país. “Em casa é completamente diferente dos outros campeonatos. Jogar em casa com a torcida a nosso favor foi único”, definiu a jogadora.

Simplicidade, garra e humildade, definem a atleta.

Simplicidade, garra e humildade, definem a atleta.

Durante a participação na Aquarela, Fran foi entrevistada pelos alunos. Um deles perguntou como é ser celebridade. E a resposta foi surpreendente. “Não me sinto uma celebridade. E se for mais conhecida também não quero me sentir assim. Prefiro ser conhecida. Temos que ser povão. Não tem que esquecer das origens. Lógico que tenho meus momentos de privacidade, mas o legal é ser da galera!”, acrescentou a campeã.

Com aproximadamente 50 medalhas, Fran reportou aos pequenos que começou no basquete. Chegou a jogar handebol, mas não sabia muito sobre a modalidade. “Minha irmã que me levou”.

Ouro em Toronto.

Ouro em Toronto.

Sobre a Praça de Esportes, Fran tem suas colocações. “Até quando eu fui atuar fora, a Praça já estava sem incentivos. Vê-la como está agora é triste. Existem crianças talentosas. Seria fácil implantar um projeto social lá. Eu tenho vontade de fazer algo pro esporte, mesmo morando fora,” revelou nossa campeã.

Para Fran, é hora de ação em Campo Belo na área esportiva. “Desde Toronto no ano passado o pessoal disse que teríamos mais incentivos. Falar antes de fazer é fácil. Espero atitudes e não palavras. Queremos que atuem. Não gosto e nem quero que me procurem para falar de algo. Tem que valorizar os atletas que usam o espaço agora. Não vivo a realidade de Campo Belo, da Praça de Esportes, eu estou longe. Tem que fazer,” alertou a atleta que venceu com o apoio da família e com o seu talento.

Na opinião da campeã, têm vários professores atuando em Campo Belo e são bons. Ela lembrou que a cidade é um celeiro de atletas. Precisa mesmo é de valorização. “Tenho vontade de vir para a cidade e fazer um projeto social”, declarou a atleta do handebol.

Hoje é atleta consagrada, mas no inicio teve apenas o apoio da família e do técnico, Joel Moreira.

Hoje é atleta consagrada, mas no inicio teve apenas o apoio da família e do técnico, Joel Moreira.

História de uma vencedora

Os pais usaram a reserva que tinham para custearem a viagem à São Paulo.

Os pais usaram a reserva que tinham para custearem a viagem à São Paulo, no inicio da carreira da consagrada Fran.

Dona Eliene  Barbosa Gomes se recorda dos primeiros passos para alavancar a carreira da filha. Hoje a campeã mundial, é atleta profissional de handebol da equipe de Guarulhos e da Seleção Brasileira. Segundo a dona de casa, o começo foi difícil. Sem incentivos, a mãe convenceu o pai a usar a reserva que tinham para pagarem a passagem e levar a futura campeã para a sua consagração. Francille tinha 14 anos e há um ano treinava em Campo Belo. Começou na quadra da Escola Estadual Miguel Rogana e depois atuou na Praça de Esportes da cidade. “Vamos realizar o sonho da nossa filha e leva-la para São Paulo”, contou dona Eliene.

O primeiro técnico, Joel Moreira, se orgulha da aluna.

O primeiro técnico, Joel Moreira, se orgulha da aluna.

 Eliene tem orgulho de mostrar 50 medalhas que a filha conquistou na carreira. Nas Olimpíadas, foram presenciar a filha em quadra. “Sensação enorme. Experiência sem explicação. Ve-la de perto e ao mesmo tempo longe, sem poder abraça-la”, ilustro dona Eliene.

Fran da Rocha, de acordo com a mãe, é atleta nata. “ Treina desde os 13 anos. Foi pra São Paulo  aos 14 anos”, completou.

Toronto

A campobelense, de sorriso fácil e muito cativante, estava em quadra com a equipe de Handebol Brasileira buscando o Penta Campeonato em 2015. Aos 23 anos, Franciele Rocha (Fran da Rocha) brilhou mais uma vez. Com 1.66 de altura e 56 kg, Fran compensa a falta de tamanho (perto da outras jogadoras da seleção) com as habilidades. E foi com um sorriso emocionante, que ela comemorou a vitória do grupo Penta campeão em Toronto. Mais um título para a carreira desta “mineirinha” (nascida no Norte de Minas e criada em Campo Belo) que começou a brilhar na quadra da Escola Estadual Miguel Rogana em Campo Belo (MG) e teve como técnico, Joel Moreira.

Treina desde os 13 anos. Foi pra São Paulo aos 14 anos.

Treina desde os 13 anos. Foi pra São Paulo aos 14 anos.

Os campobelenses aprovaram a atitude da campeã. “Atitudes como essa da Fran da Rocha mostra que atleta não faz bonito só dentro de quadra”, escreveu Wagner Rocha.

Ele não foi o único. Elias Eliazar também enalteceu o carisma de Fran. “Quero parabeniza-la e agradecer por tudo que você faz na Seleção Brasileira de handebol, por nos representar tão bem.

Agradecer ainda pela simpatia de pessoa que você é; pela humildade. Você é um exemplo que deve ser seguido pelos jovens atletas. Parabéns pela dedicação e peço para que Deus esteja sempre honrando-te e  protegendo-lhe. Desejo muitas conquistas e conte sempre com meu apoio, admiração e torcida. Você merece todo reconhecimento. Obrigado por toda atenção!”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*